5 Habilidades que tornarão seus filhos, adultos sem problemas com dinheiro

Todos os pais, praticamente sem exceção, têm como uma das principais preocupações de sua vida, a seguinte dúvida: Será que meu filho conseguirá ter uma vida adulta confortável e sem preocupações financeiras?

Essa dúvida é agravada ainda mais quando se tem mais de um filho ou quando se foi o que chamamos de “pai velho”, ou seja, quando a pessoa teve filhos numa idade mais avançada, em especial para aqueles que tiveram filhos acima dos 35-40 anos, o que automaticamente significa que quando nossos filhos estiverem “saindo de casa” ao se formarem na faculdade, os pais já estarão na casa dos 60 e poucos anos, e com menos possibilidades de ajudar aos filhos de forma relevante, pois já estarão na idade próxima a se aposentar.

Dessa forma, a principal condição que tem, OBRIGATORIAMENTE, de ser desenvolvida em nossos filhos ao longo de suas vidas, para propiciar a eles o conforto que tanto desejamos é: Desenvolver neles todas as habilidades necessárias para se tornarem verdadeiros gestores de suas vidas financeiras e de seus investimentos.

Apresentamos abaixo 9 dicas importantíssimas que para ajudar seus filhos a desenvolver um repertório de habilidades financeiras que facilitarão demais seus caminhos:

– Ensine-os sobre os prós e contras de cartões de crédito:

Cartões de Crédito são excelentes ferramentas para ensinar aos jovens como lidar com crédito e as suas possíveis consequências, tanto positivas quanto negativas, especialmente porque alguns cartões oferecem ótimos benefícios, tais como programas de recompensas e cash-back.

Você pode, certamente, auxiliar seu filho no processo de obter um cartão de crédito , mas isso deverá, obrigatoriamente, vir com uma série de alertas. Jovens precisam saber que as faturas necessitam ser pagas integralmente, pois, em caso contrário, os juros poderão ser tornar “companheiros indesejados” durante longos períodos. Detalhe a eles as questões dos juros envolvidos, e que os mesmos podem gerar círculos viciosos muito perigosos que podem nunca serem totalmente ultrapassados.

– Ensine-os sobre tarifas bancárias:

Quando crianças finalmente conseguem entender como juros bancários funcionam, eles também terão de aprender que bancos tendem a cobrar tarifas excessivas a seus clientes. Essas taxas podem ser relacionadas a coisas que vão de extratos impressos, passando a tarifas por envios de ordens de pagamentos e, até mesmo pela simples não movimentação de contas, em alguns casos. Condicione seus filhos a evitar essas taxas através da pesquisa detalhada de quais bancos oferecem as melhores taxas frente ao perfil de consumo que ele apresenta e que, ninguém é obrigado a “casar” com seu banco, dessa forma, mesmo que esteja hoje numa ótima instituição bancária, a procura tem de ser permanente por melhores condições de custos.

– Instigue-os a entender o conceito de “compra de valor”

Guardar dinheiro, nem sempre é sobre simplesmente investir o máximo possível. Muitas vezes é gastar de forma inteligente seu dinheiro, e receber o melhor retorno por seu dinheiro gasto. Exemplo: se um dia seu filho quiser comprar uma bicicleta, ensine-o a buscar o melhor modelo e que poderá ser utilizado por mais tempo possível, dentro de um orçamento estabelecido pra compra.

“Compra de valor” envolve compreender o conceito de qualidade e longevidade dos produtos, e saber que características de fato importam e quais não importam. Essa é, certamente, uma habilidade que pode ser aprendida e largamente desenvolvida, habilidade essa que poderá fazer seu filho economizar muito dinheiro ao longo da vida.

– Ensine-os a desenvolver orçamentos.

Essa é, de muito longe, a habilidade mais importante que pode ser ensinada a uma criança. Basicamente é desenvolver a capacidade de fazer mais com menos e existem, provavelmente, milhares de formas de se fazer isso, de acordo com as características de cada família e também dependendo dos objetivos de cada um. Dessa forma, é crucial ensinar a seus filhos que eles deverão aprender por si próprios, a desenvolver uma metodologia de entradas e saídas de dinheiro, dividindo por categorias de uso (comida, lazer, contas da casa, etc.), para assim, poderem comparar ao longo do tempo, mudanças nas faixas de consumo, e, com isso, aprender como priorizar gastos, reavaliar consumos, etc. Sempre bom lembrar a eles que, a parte do lazer é sim algo importante, pois sem lazer, a sensação de valor do dinheiro cai enormemente, então é absolutamente CRUCIAL, ter verbas para lazer dentro do orçamento mensal.

– Dê a eles a plena noção dos efeitos que DÍVIDAS tem na vida das pessoas

Essa é a segunda mais importante habilidade que se pode ensinar a seus filhos, habilidade que se for mal desenvolvida, se tornará a PRINCIPAL dor de cabeça que eles terão ao longo de suas vidas.

Reserve MUITO TEMPO para explicar a eles as dinâmicas que envolvem o empréstimo de dinheiro, de forma que eles entendem que essa relação de longo prazo, que pode vir tanto de um consumo de um produto de baixo valor agregado, como a compra de roupas, quanto de bens de alto valor agregado, como veículos ou imóveis, seguirão com ele por longos períodos, e que o eventual ato de deixar de pagar parcelas criará problemas muito maiores do que as parcelas em si. Apresente exemplos práticos de cálculos que demonstram o tamanho das chamadas “bolas de neve” que se criam com o não pagamento de dívidas e, principalmente, apresentem como esse efeito irá alterar fortemente a dinâmica do orçamento de suas casas, ao obrigarem direcionar dinheiro que tinham outros usos para o pagamento de dívidas.

Recomendados