Como permanecer tranquilo durante mercados frenéticos

Durante os últimos meses, em especial à partir de Março de 2019, temos visto um mercado extremamente volátil, com grandes oscilações, mas sem conseguir romper a barreira dos 105 mil pontos do Ibovespa, e isso tem deixado muitos investidores preocupados, ansiosos e, inclusive, temerosos sobre o que está vindo por aí nos Mercados Financeiros.

Essa é uma preocupação bastante natural e, inclusive, esperada, tendo em vista os momentos turbulentos e nebulosos que temos vivido no Mundo atualmente, e, em se tratando de nosso dinheiro, ninguém gosta de sentir ansiedade sobre o futuro dele, não é mesmo?

Nesse artigo, apresentaremos alguns insights importantes sobre como lidar melhor com esses movimentos tumultuados e incertos no Mercado, no sentido de conseguir tirar os melhores proveitos possíveis, tanto financeiros quanto psicológicos.

– Lembre-se que é ABSOLUTAMENTE NORMAL se “esconder”

Em momentos turbulentos, querer “se esconder” ou então evitar ler reportagens sobre a crise é um tipo de postura bastante comum, e, muitas das vezes, inclusive, é uma das coisas mais corretas a se fazer. E tende a ser algo positivo a se fazer pois existe algo que se chama “viés cognitivo” que tende a nos colocar em ações em momentos de medo. Em momentos assim, tendemos a acreditar que fazer algo, ainda que de forma impensada, é preferível ao invés de analisar apenas. O que muita gente não compreende é que dar ouvidos ao viés cognitivo é a razão que leva muita gente a vender quando o mercado está nas mínimas e a comprar quando o mercado está nas máximas. Eles simplesmente ficam com medo de “fazer nada”.

Sabendo que é praticamente impossível ignorar essa voz que fica falando nos nossos ouvidos gritando “Faça alguma coisa”, “Vai ficar só olhando?” quando os mercados estão frenéticos, caindo ou subindo, o melhor método para ignorar esse tipo de viés é de fato ignorar cada variação na rentabilidade de seu portfólio.

Obviamente que ninguém está dizendo para você parar de acompanhar seu portfólio, entretanto, ficar olhando todo santo dia cada mini movimento, ou então ficar se preocupando com cada notícia que sair, só tende a prejudicar o investidor psicologicamente, levando-o a tomar atitudes impensadas e frente a ruídos que em nada favorecem seu portfólio.

Ao invés disso, estabeleça um gerenciamento de risco e um cronograma de avaliação do portfólio de acordo com regras pré-estabelecidas. Isso te dará toda informação que você necessita para manter sua alocação de capital balanceada e, caso necessário, fazer as mudanças necessárias.

– Leve o Conforto em Consideração

Ainda que a frase “performance passada não é garantia de performance futura” seja algo mais surrado no mercado do que qualquer outro conceito, há excelentes motivos para você analisar resultados passados do mercado como um todo, ao invés de isoladamente. Se você analisar as tendências de longo prazo e as rentabilidades históricas, você verá que o mercado quase que inevitavelmente, se mantém numa tendência de alta quase perene.

Dessa forma, se compreende que historicamente, o mercado quase que inevitavelmente, se recupera de toda e qualquer crise que já ocorreu, nesse sentido, perdas pontuais de curto prazo tendem a ser relativizadas e, inclusive, potencialmente ignoradas, pois no fim, o que importa é que o desempenho ao longo dos próximos 20, 30, 40 anos seja consistentemente vencedor.

Investidores que se mantiveram calmos, somente fazendo ajustes pontuais na gestão de seus investimentos durante as crises de 2001, 2008 e tantas outras, no fim, tiveram resultados de longo prazo consistentemente lucrativos, enquanto muitos que agiram por impulso ou por pânico, provavelmente amargam prejuízos que foram carregados (ou ainda o são) por longos anos. Por mais estressante que uma queda forte possa ser, manter-se fiel a um estrutura sólida de gerenciamento de alocação e de risco, focado na sobrevivência de longo prazo propiciará a você um resultado muito mais positivo e te propiciará muito mais confiança ao lidar com seus investimentos.

– Tenha um plano para lidar com Volatilidade

Uma das razões pelo qual tendemos a reagir mal à volatilidade dos Mercados é porque esquecemos que ela é parte natural e importante do Mercado. Mercados de queda são normais, e, inclusive, deveremos nos preparar para sobreviver a dezenas deles ao longo de nossas vidas. Ainda que obviamente qualquer um prefira mercados de alta, saber lidar com a queda te dará maior conforto ao longo do tempo.

Uma forma eficiente de lidar com isso é ter um plano de contingência para casos de queda, no sentido de rebalancear sua carteira em cenários de stress, no sentido de reduzir possíveis efeitos de quedas diversas. Isso pode incluir aumento de proporção de renda fixa em cenários assim. Somente uma decisão como essa pode aumentar muito seu conforto e reduzir danos de forma potencialmente eficiente em sua carteira

– Não entre em Pânico

Seres humanos não são criados para serem investidores racionais, esse é o motivo porque tendemos a ser tão ruins nessa atividade. Somos seres emocionais que tendemos a ser consumidos por essas emoções. Ainda assim, fechar suas posições simplesmente porque o pânico tomou conta de você pode ser uma decisão muito ruim, especialmente se mal avaliada no sentido macro da situação.

Desenvolva técnicas que te reduzam o stress em momentos cruciais, e parte importante disso é ter um PLANO para momentos assim. Tendo um plano pensado em momentos de calma te ajudará demais em momentos de stress, pois o simples ato de seguir o plano, tenderá a te dar melhores recursos para extrair os melhores resultados frente a cenários de pânico. Evitar tomar atitudes permanentes durante problemas temporários é CRUCIAL para todo investidor.

Recomendados