Sua escola falhou miseravelmente nesses ensinamentos

Todos nós aqui provavelmente passamos cerca de 20-25 anos sentados no banco da escola preocupados em aprender o máximo possível, sobre o maior número possível de temas, buscando desenvolver as características essenciais para obter uma vida confortável e plena, tanto profissional quanto pessoalmente, não é mesmo?

Mas você já parou para analisar detalhadamente esses longuíssimos anos que passou estudando no sentido de verificar o que de fato foi útil durante sua vida adulta e, pior ainda, quais aspectos você pretende reforçar na criação dos seus filhos e netos?

Nesse artigo, vamos apresentar alguns aspectos muito importantes que pautaram a vida escolar da maioria e que, muito provavelmente, mais jogaram contra nosso desenvolvimento do que a favor.

São eles:

– A PRÁTICA DO QUE FOI APRENDIDO, EM GERAL, É MUITO DIFERENTE DA TEORIA

  Essa é, de muito longe, a pior característica do ensino chamado de “cartesiano” que a gigantesca maioria de nós foi submetido! Durante décadas fomos bombardeados por um volume de teorias diversas sobre todos os assuntos possíveis, mas cá entre nós: quantos dos seus professores alguma vez disse pra você que aquilo que estava nos livros e sendo ensinado por eles, no momento de ser aplicado na prática, provavelmente teria resultados ou necessidades diferentes?

Provavelmente poucos, ou mesmo, NENHUM! Isso nem é tanto culpa de seus professores. Na verdade, é fruto direto de uma Cultura Educacional focada na tentativa de transferir volumes sobre-humanos de teorias que em sua gigantesca maioria, jamais apresentarão utilidade alguma. Fosse o ensino focado em uma estruturação prática, de ligação lógica entre os conhecimentos, buscando apresentar uma forma genuinamente útil da formação do conhecimento, tal aspecto provavelmente jamais teria ocorrido com qualquer um de nós.

– COMO APRENDER A LIDAR DE FORMA EFICIENTE COM DINHEIRO

Vivemos num país cujo boa parte das mazelas e problemas sociais existentes, vem de um mau uso ESTRUTURAL do dinheiro por parte das pessoas!

Quantos de nós, em algum momento, não teve questões muito sérias relativas a descontroles financeiros. Ou pior ainda: quem de nós jamais teve um familiar ou pessoa próxima literalmente perdendo tudo (ou quase tudo) fruto de uma (ou várias) irresponsabilidades financeiras?

Ninguém, quase, cresce aprendendo a lidar de forma eficiente e eficaz com conceitos tais como: Risco, gerenciamento financeiro, planejamento de longo prazo, escassez de recursos, etc.

No exato oposto: todos crescemos acreditando que o mérito virá pelo estudo e que todo o restante se resolve depois.

Nada pode estar mais longe da formação de um adulto efetivamente pleno do que a inabilidade em gerir seu patrimônio e lidar com escassez de recursos financeiros de forma a viabilizar um futuro confortável, proveitoso e com baixa suscetibilidade a crises.

– Ser um aluno acima da média é que tem de ser o foco!

Quantos de vocês já não teve de conviver com amigos, conhecidos ou mesmo parentes que adoram ficar falando sobre o quão boas eram suas notas, ou as notas de seus filhos. Pior ainda: que fulano ou ciclano era o melhor aluno da sala. Como se só faltasse após isso, diminuírem as luzes, uma música imponente começar, um faixo de luz ficar sobre a pessoa e vir uma pessoa entregar um troféu enorme parabenizando por tal feito!

Nosso sistema de ensino foca, antes de qualquer outra coisa, na tão falada “Média escolar”, fixando que estar acima dela é que é importante, não importando se, pra isso, você apenas se debruçou durante dias sobre um livro até decorar os dias do nascimento de todos os presidentes, ou então cada um dos símbolos da tabela periódica, sem que com isso tenha de fato compreendido aspectos absurdamente mais cruciais relacionados à aplicabilidade de tais conhecimentos.

Se preocupar com a média apenas, como se ela fosse fim em si mesma, acaba por criar adultos que se tornarão ineficientes e frustrados em questões de fato relevantes na vida adulta, tais como: excelência na entrega de resultados, adaptabilidade frente a novos desafios, criatividade para encontrar formas novas de realizar as mesmas tarefas, etc.

Estar apenas acima da média é INTRINSECAMENTE INSUFICIENTE. Estar apto a responder de forma eficiente aos desafios da vida, fazendo um uso inteligente do que quer que seja que tenha aprendido é que nos fará adultos mais aptos a nos desenvolver de forma mais promissora e plena!

Recomendados