Como perder o medo de investir na bolsa de valores

Se você está naquele grupo de pessoas que morrem de medo de investir na Bolsa de Valores, não se preocupe: você não está sozinho!

Investir em ações é, e sempre foi uma atividade muito cheia de tabus e lendas no Brasil, especialmente devido à nossa cultura muito fraca de poupança e investimentos de forma geral! Já não bastasse isso, somos um país com um histórico longuíssimo de crises econômicas e políticas que agravam muito a sensação de insegurança quanto ao futuro e, portanto, essas dificuldades em lidar com risco futuro são até bem justificáveis.

Ainda assim, um dado importante a ser lembrado é que países mais desenvolvidos são historicamente investidores muito mais intensos na Bolsa de Valores o que acaba por criar condições de mercado para as empresas muito melhores do que aqui, e, por consequência, forma condições muito mais sólidas para a estruturação de uma Economia muito mais sólida para todos. No Brasil, menos de 1% da população tem investimentos em Bolsa de Valores, enquanto em países como Estados Unidos, cerca de 60% da população tem investimentos desse tipo! Dado impressionante, não?

Abaixo listamos algumas dicas importantíssimas que te ajudarão a tirar proveito desse que é o investimento que potencialmente pode gerar os maiores e mais sólidos retornos do Mercado de Valores:

– Desenvolva um “Medo saudável” de Não Investir

Se é segurança que você procura, então é muito bom lembrar que poucos lugares são mais seguros que um banco, até porque boa parte dos investimentos tem mecanismos de garantia contra quebra como o FGC (Fundo Garantidor de Crédito). São eles: Poupança, CDB, LCA/LCI, etc. Mas o que pouca gente sabe é que nos últimos 20 anos, por exemplo, a Bovespa rendeu cerca de 3x mais que a Poupança, sendo que se você incluir a Inflação na conta, ao longo de 20 anos você teria praticamente empatado seu poder de compra (ou basicamente ganho quase nada de ganho de dinheiro efetivo), enquanto se tivesse colocado seu dinheiro na Bovespa, a chance de você hoje ter mais que triplicado seu poder de compra REAL seria enorme. Dessa forma, ao invés de ter medo de investir, é absolutamente mais lógico ter medo de NÃO INVESTIR.

– Aprenda um pouco sobre a História do Mercado

Muitos dos erros que os investidores cometem vem de suas emoções. Se o mercado cai, muitas pessoas se aterrorizam e sacam todo seu dinheiro do mercado, normalmente perdendo muito. Um pouco de conhecimento da histórica do Mercado pode ajudar a se manter com a cabeça no lugar. Quanto mais tempo se mantém o dinheiro no Mercado, maiores suas chances de rentabilidades mais altas no longo prazo. Como comentamos acima, ainda que tenhamos tido anos ruins no mercado, alguns inclusive com perdas acima de 40%, na média dos 20 anos, o efeito prático desses anos muito ruins praticamente desaparece frente ao comportamento de longuíssimo prazo do Mercado. Dessa forma, entender que quedas fazer parte do Mercado trará a você uma consciência que uma visão de 20-30 anos trará potencialmente melhores resultados do que analisar movimentos isoladamente, sejam eles bons ou ruins.

– Comece pequeno

Ainda que você tenha uma quantidade grande de dinheiro para investir, mas não tenha coragem pra investir tudo de uma vez, avalie iniciar com uma parte pequena para ir se ambientando. Uma técnica é fazer aportes constantes mas pequenos no sentido de ir montando uma carteira que foi construída ao longo do tempo, postura essa que é muito eficiente quando se avalia uma postura de investimentos de longo prazo.

Se o mercado está num mês bom, seu dinheiro comprará menos ações naquele mês. Se o mercado está num mês pior, seu dinheiro comprará mais ações naquele mês. Dessa forma, você nunca vai precisar se preocupar com pegar o timing perfeito. O que importará pra você é o comportamento de longo prazo do ativo. Por dividir os aportes ao longo de meses ou anos, você minimiza enormemente o risco médio de suas operações e, por consequência de perder dinheiro por concentrar aportes pesados num único período.

– Mantenha uma estratégia simples

O vocabulário dos investimentos pode ser complicado: diversificação, alocação de ativos, etc. O que isso significa? Você pode inclusive fazer esses termos trabalhar para você, sem que para isso você precise estudar como fosse tentar um emprego numa corretora de valores.

Uma forma que pode ser viável, é investir através de um fundo multimercado ou fundo de ações, onde um gestor (ou grupo de gestores) toma as decisões de alocação do seu capital ao longo do tempo, em troca de uma taxa de administração e/ou performance.  Ainda que essa não seja a forma mais eficiente, se você avaliar com cuidado as características dos fundos, o desempenho médio dele no passado, levando-se em consideração períodos de alta e de queda, escolher uma instituição financeira sólida e notória e, principalmente, avaliar o perfil de risco desses fundos, essa certamente é uma opção bem viável

É absolutamente compreensível que o comportamento do mercado de valores é algo que pode dar um pouco de medo para os que não estão envolvidos com ele diariamente, ainda assim, é bom lembrar que as Bolsas de Valores estão ativas há séculos pelo mundo e muitas das famílias mais ricas do mundo investem desses mercados desde sempre, o que denota que certamente há métodos eficientes para se expor a esse tipo de Mercado. Cabe a você estudar sobre o tema, começar devagar, mas mais importante, COMEÇAR!

Recomendados