5 impactos negativos do COVID-19 na economia brasileira.

economia brasileira

Vamos falar aqui nesse artigo sobre os principais impactos negativos sofridos pela economia brasileira, devido ao problema de repercussão mundial que é o Corona vírus.

O governo federal listou 5 dos principais efeitos da pandemia sobre a economia brasileira. No Boletim, o Ministério da Economia, diz que
existem incertezas sobre a dimensão e extensão do problema.

Portanto, todas as estimativas devem ser interpretadas com cautela. Os possíveis impactos listados pela equipe econômica são os seguintes:

1- Redução das exportações. O último Boletim do Governo afirma que a redução no ritmo das
atividades globais, tem como consequência gerar uma queda na demanda por exportações brasileiras, inclusive de commodities.

Afinal, como a origem do vírus é a China, principal cliente brasileiro no exterior, o “contágio” via exportações foi um dos primeiros impactos apontado por todos os economistas, por exemplo.

2- Queda no preço de commodities e piora nos termos de troca.
Além de exportar menos commodities, o Brasil tende a vendê-las por
preços muito mais baixos, consequência da queda da demanda global por esses produtos.

Portanto, o preço dos produtos importados poderá aumentar, por causa da menor disponibilidade no mercado global. Ou seja, ocorre a chamada “piora nos termos de troca’’.

Explicando em outras palavras, isso é quando os produtos que o Brasil
exporta ficam mais baratos, e os que ele importa mais caros, gerando um grande colapso na economia brasileira.

3- Interrupção da cadeia produtiva de alguns setores.
De acordo com o último boletim, a paralisação da produção de bens
intermediários chineses, pode por sua vez, afetar a produção de manufaturados em alguns importantes setores.

4- Queda nos preços de ativos e piora das condições financeiras.
Esse documento do governo observa que, após o forte aumento de casos
da corona vírus fora da China, houve aumento na volatilidade dos
mercados e na demanda por ativos de menor risco, por exemplo.

Segundo a Secretaria de Política Econômica, com mais incertezas e condições financeiras piores, o acesso ao crédito e investimentos de curto
prazo poderão ficar quase que impossíveis.

Mas esse canal de transmissão, por ser muito dependente de um agravamento da epidemia, não foi incluído nas simulações sobre o
impacto econômico da pandemia.

5- Redução no fluxo de pessoas e mercadorias. A adoção de alguns comportamentos de precaução, como diminuição de viagens, redução da jornada de trabalho, e adoção do home office, é outro impacto possível.

Mas no entanto, da mesma forma que o item anterior, esse também não foi considerado na simulação por depender de um agravamento da epidemia em todo o território nacional.

Recomendados